Quando tinha 17 anos entrei para a faculdade de direito e tive a pior experiência da minha vida. Percebi que não era aquilo que queria e sofri por longos períodos, pois só de pensar que estaria preso atrás de uma mesa e dentro de uma sala, ou escritório pelo resto de minha vida me sufocava. Nessa época tinha acabado de me formar na cultura inglesa e precisa dar continuidade já que todos sabemos que a repetição leva a perfeição.

Aqui começa minha vida e não minha sobrevivência. Minha família e amigos sempre me chamaram de louco por querer sair do cotidiano e te digo com clareza, não trocaria um segundo de tudo que vivi até hoje. Algumas trocas estratégicas em algumas decisões pessoais, mas nada com relação a minha vida fora do país e pelo mundo.

O que a maioria dos meus amigos que antes me exigiam uma conduta tradicional e pacata, não fazem ideia é que cada passo meu lá fora me trouxe um pouco mais de conhecimento, um pouco mais de cultura, um pouco mais de vivência, um pouco de vida.

Ninguém sabe quanta coisa boa passei nos últimos dez anos, nem as ruins porque nem tudo são flores. Hoje escolhi minha profissão onde não tenho finais de semana, encontrar uma pessoa que queira e aceite ficar ao meu lado, ficar longe de família e amigos por longos períodos de tempo. Isso tudo compensa quando tenho em vista o mundo, e começo a relembrar tudo que já vivi, afinal viver rejuvenesce, viver traz alegria, viver e não sobreviver.

Quanto começo a contar minhas histórias e relembrar tudo que já fiz vejo que valeu a pena sair e viver tudo que já vivi. Se você se vê nessa situação, saia do lugar e porque sem dúvida a vida passa e passa rápido.

Vamos juntos guiar e trilhar suas próximas aventuras.

#guiasetrilhas

%d blogueiros gostam disto: