Pinochet, e ideias revolucionárias

O nome do personagem da semana é Augusto José Ramón Pinochet Ugarte. Nasceu em Valparaíso no Chile, e deu início a sua vida militar aos 18 anos, ainda em Santiago, em 1933 e permaneceu até 1937. Anos depois, mais precisamente até 1972, se tornou general chefe do exército chileno e a partir daqui sua história ganha outra vertente. Vamos a ela!

CONTEXTO HISTÓRICO

Nessa época entre a década de 1950 e 60, algumas palavras e expressões ganharam força com alguns tipos de política que começaram a ganhar força no mundo e, principalmente, nas américas.

Era comum ver os países da américa central e sul aderirem a sistemas socialistas como Cuba fez em 1959. Não foi diferente com um senhor chamado Allende, que subiu ao poder chileno com cunho esquerdista.

A gente quando começa a levantar os dados para saber um pouco mais sobre um país, estado, cidade ou personagem para trazer a você turista um pouco mais de informação, vemos de tudo um pouco e o que mais chama atenção é ver como os chilenos ainda se dividem entre quem defende e detesta Pinochet.

Bem, já entendemos o porquê dessa virada de mesa no começo dos anos 70 então, o exército queria tirar de vez a presença comunista de suas terras, e conseguiu.

Em uma tentativa de manter o texto o mais imparcial possível, vamos pensar juntos, ok?

Foto profissional gratuita de 1964, allende, amontoado
(Passeata em 1964 – Chile)

DITATURA CHILENA

Bem, Pinochet ficou no poder de 1973 a 1990 e manteve ainda até o fim da década de 90 o título de senador vitalício na política do Chile, entregando o cargo em 2002. Foi uma ditadura? Sim, foi uma ditatura com perseguições frequentes contra aqueles que eram a favor do comunismo.

Como já comentado em outro post, dissemos que o presidente tinha ideias liberais e uma proximidade firme com os americanos, ao ponto de Pinochet organizar um grupo de jovens (com aproximadamente 25 economistas), e fazer como uma reforma na economia nacional.

Já que o governante caçava sem dó quem era de esquerda, ou quem tinha algum tipo de ideal social comunista, acabou levando a fama de tirano e ao mesmo tempo um tirano de ideias liberais promovendo o crescimento econômico chileno como nunca antes visto.

Assim como nosso governo atual Pinochet mexeu demais em time de ministros e o impacto acabou sem tornando uma bola de neve na inflação. Para quem lê ou assiste vídeos e no youtube, pode achar que o plebiscito foi algo bacana e de bom grado em 1988, mas… veremos!

FEITOS

Todo governante acredita que possa fazer mudanças significativas e de fato Pinochet é lembrado até os dias de hoje por ter moldado a economia liberal chilena, mas vamos ver o que ele possa ter feito além!

Privatizações, livre mercado, privatizou a previdência social e junto aos 25 jovens promissores realizou o que ficou conhecido, anos depois, como legado.

Bem, vamos falar outra vez sobre a previdência, pois o que mais se vê hoje é a falta de recursos dos aposentados que deram início a essa nova modalidade com os incentivos da época. Um problema enorme para quem juntou aquele dinheirinho a vida toda achando que teria uma velhice mais tranquila.

livre lascado fotos | Piqsels
(Foto meramente ilustrativa para comparar a constituição)

VOLTANDO AO PLEBISCITO

Pinochet organizou em 1988 um plebiscito para que a população decidisse se ele deveria se manter no poder ou não! Há quem diga que foi uma jogada de mestre e que demonstrou humildade, será?

A ditadura peruana caíra em 1980, em 1983 a argentina se livra de vez de um governo autoritário e sua ditadura chega ao fim, em 85 a nossa também chega ao fim, assim como a uruguaia.

Foram vários governos caindo que defendiam um mesmo proposito, a defesa de um sistema liberal não comunista. Nesse mesmo tempo morreu o General Tito da Jugoslávia, e a Alemanha já demostrava traços de unificação e a guerra fria já começava a se fazer menos intensa.

Se para uns o plebiscito foi uma demonstração de humildade, para outros foi uma atitude fracassada de se manter no poder demonstrando que sairia caso fosse necessário, sem contar os fatores externos. Será que não foi o medo de uma nova revolução em meio a um contexto continental e mundial em prol da democracia? Vale pensar, heim?

Não é necessário ir muito longe para saber a resposta do povo! Que ele fez muito pelo país e que deixou um legado de economia liberal diferente de todas as outras ditaduras vizinhas é inegável.

Que viu o contexto global fortalecendo um regime menos autoritário e controlador, como ele mesmo defendera, e mais aberto a opções o que por sinal já dizia em uma constituição elaborada em seu governo ainda em 1980.

Segundo Miriam Henríquez Viñas, professora de Direito Constitucional e Decana da Faculdade de Direito da Universidade Alberto Hurtado, de Santiago:

“Uma das questões mais criticadas é sua ilegitimidade de origem: é precisamente o fato de ter sido elaborada durante uma ditadura militar”.

Assim como Gilberto Aranda, professor do Instituto de Estudos Internacionais da Universidade do Chile, que diz:

“A Constituição de 1980 foi obra do regime militar e, para um setor muito relevante da sociedade chilena, tem uma origem ilegítima”.

Aranda ainda afirma que em 2005 uma reforma na constituição abriu ainda mais o leque de opções a partidos e senadores. Antes os senadores eram nomeados e agora são eleitos. O professor diz que antes a origem da constituição era extremamente autoritária.

(Casa de la moneda – Santiago -Chile)

FIM DE UMA ERA

Após 17 anos no poder, um legado liberal ainda seguido no governo atual chileno, uma constituição e o freio limitador ao comunismo, Pinochet deixa a presidência.

PROBLEMAS ATUAIS

Os problemas enfrentados hoje pelo governo e senado é a trava deixada por Pinochet a constituição. O Estado é limitado a supervisionar serviços que consideramos básicos, como saúde, educação e previdência. Todos esses no país são privados!

Ninguém aqui defende o comunismo, socialismo ou qualquer ismo de esquerda, mas é importante fazer o comparativo como já fizemos quando tratamos da Jugoslávia. Quando entrevistamos a guia local Bósnia, ela nos contou que em sua juventude não faltava comida, educação e saúde.

Será que Pinochet não foi de encontro a um extremo (comunista), com outro extremo deixando de lado o básico para os menos favorecidos? Tito buscou o equilíbrio e logrou com êxito até sua morte, e hoje como estão os países que compunham seu Estado? Talvez tenha faltado equilíbrio a ambos!

Quer saber mais sobre os países de Tito? Acompanhe com a gente: Bósnia, Servia, Macedônia, Croácia, Eslovênia e Montenegro.

Curtiu nossas dicas?

Vem com gente,

Equipe Guias & Trilhas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: