Constantinopla, a nova capital dos otomanos

Conquista de Constantinopla em 1453, e o império otomano se deu ainda no século XIII em 1299. Esse pedaço da história marca a Transição da idade medieval para a idade moderna, e um reinado que perdurou por quase, pasmem, quase 700 anos. Sem dúvida um dos impérios mais longevos da história recente.

ANATOLIA

Ouvimos muito falar em Anatólia quando falamos de história, Alexandre, o Grande, otomanos, reino da servia, império bizantino, persas, romanos etc., esse território foi muito disputado por sua localização geográfica, pois é a região mais ao oeste da região da Ásia, ou como os gregos chamavam, Ásia Menor! Alexandre, o Grande, se referia muito a Ásia Menor quando passou por ali.

(Anatólia – Ásia Menor)

COMO SURGIU O POVO TURCO/OTOMANO

Um dos povos mais influentes na Ásia, foi sem dúvida o povo Mongol. Eles tiveram influência direta na Europa e os países vizinhos da Ásia Menor, como por exemplo a Turquia. Foi da Mongólia que o povo turco surgiu, assim como os Hunos que constantemente bateram as fronteiras da Hungria.

Antes dos turcos se unirem e formarem o Império Otomano, os povos árabes que viviam na área que ia do Egito, Jordânia, Síria e até a Arábia Saudita, eram denominados sarracenos. A melhor maneira de entender e classificar essa fase é a seguinte:

Sarracenos << Otomanos

Cristão << francos (da Europa)

Com a chegada desse povo vindo da Mongólia, e a mescla com a religião muçulmana, criou por fim os otomanos como conhecemos.

A QUEDA DE CONSTANTINOPLA

A localização da cidade chamava a atenção de romanos, gregos, sarracenos, e claro dos bizantinos, pois ligava a Europa a Ásia, os Mar Negro ao mediterrâneo. Vocês lembram que já falamos do império bizantino e romano? Pois bem, essa era a capital do império romano do oriente e posteriormente do império bizantino, que deu sequência ao romano.

O Estreito de Bósforo era muito visado o que fez com que algumas batalhas fossem travadas por aqui. Se pararmos para analisar a importância de determinadas cidades, rios e mares fica fácil entender os porquês de tantas batalhas e guerras.

(Estreito de Bósforo)

O imperador Teodósio de Roma institui a religião católica como oficial do Império, e com a partição entre Romanos do oriente e do ocidente, é que os bizantinos se mantiveram mais alguns séculos no poder. Até que os otomanos por fim se formassem, deixando o nome sarraceno para trás, que era mal visto em toda a Europa.

Para quem não sabe houve uma ruptura entre a religião cristã católica e ortodoxa, em 1054. Em resumo os líderes de ambas as religiões excomungaram uma a outra. O império bizantino era composto basicamente por cristãos ortodoxos. A ruptura entre as religiões ficou conhecida como, O Grande Cisma. Engraçado como o europeu e o árabe tem essa coisa meio megalomaníaca, não é? Alexandre? Torre Eiffel, prédios de Dubai, os templos de Zeus e Atenas, entre outros que se pararmos para analisar vamos longe.

A queda da cidade vista pelo lado europeu se deu a uma batalha contra os templários no século XIII, repare que nessa época os otomanos já vinham ganhando corpo. O império bizantino mesmo entre guerras e reconquistas perdeu sua força exatamente nesse ponto da história, deixando para os turcos otomanos a capital do império.

Sim os templários, as cruzadas e a não ajuda dos europeus ajudaram a queda da capital, mas a maestria dos otomanos em identificar que o império estava em queda e atacar, foi o grande lance. No início do século XIV, em 1453, os turcos então tomam a cidade e fazem de Constantinopla parte do império, antes tido como bárbaro, agora uma potência também da Europa.

Vamos lembrar um pouco de outro post que fizemos umas semanas atrás falando sobre Vlad, o príncipe romeno. Sim pessoal romeno e não romano! Ele foi levado pelos otomanos e conseguiu voltar para sua casa e retomar o poder e defender suas terras, e o filme está na Netflix com um ar nostálgico da lenda dos vampiros. O filme se chama “Drácula, a historia nunca contada”.

E por que falamos dele? Bem, o império otomano tinha como base atacar, controlar e absorver a cultura local. Era um império multicultural e muito organizado o que fez dele uma força.

Já que falamos de filmes e séries na Netflix, vale lembrar de outra e a partir daqui vamos resumir. Comece pela série “Ascensão do império otomano”, e entenda como Mehmed II teve o sultanato nas mãos aos 11 anos de idade e seu pai teve que retomar o poder até sua morte, e que o garoto agora aos 19 se tornaria uma lenda. Muito estudado e confiante Mehmed II chama um húngaro criador dos maiores canhões da época, verdadeiras maquinas de guerra, para essa investida, e faz de um morro nos entornos de Constantinopla com ajuda de seus antes apoiadores, uma via para os barcos por terra.

SIM PASMEM, ele abriu caminho por entre a mata e se deslocou para o porto base da cidade. Assim conseguiu abraçar os dois lados estratégicos e assumir o posto de sultão e conquistador de Constantinopla. Falamos tanto em Mehmed, que quase esquecemos seu nome, Maomé II.

 ISTAMBUL

É aqui que daremos início ao nosso passeio pela antiga capital otomana, bizantina e não capital turca. Isso mesmo, a capital da Turquia é Ancara, a mais ou menos 5 horas de carro de Istambul.

A única cidade europeia dividida entre Ásia e Europa, e o nome foi dado apenas em 1930, e Ancara ganhou o posto de capital em 1923 uns anos antes.

Vamos deixar Istambul para o próximo post, ou falaremos muito sobre essa cidade, e aqui foi apenas uma breve do império otomano, Constantinopla e uma lembrança dos bizantinos já mencionados.

(Deixar um gostinho de quero mais, então vem Istambul)

Curioso para saber mais sobre Istambul? Agora que você já sabe como tudo se formou,

Vem com a gente,

Equipe Guias & Trilhas.

Obs:

Existia uma lenda, e lendas são assim não é sempre cheio de misticismo, de que enquanto a lua brilhasse Constantinopla não cairia, e foi com base nessa lenda que um eclipse ocorreu um pouco antes da tomada da cidade pelos otomanos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: