Alexandre O grande: Uma vida de combate constante.

Considerado por historiadores um dos maiores reis que já existiram, Alexandre III Magno, ou como muitos o conheciam Alexandre O Grande, obteve esse nome por suas sucessivas vitórias nos campos de batalha e em conquistas territoriais.

Filho de Fellipe II, então imperador Babilônico, e de Olímpia Imperatriz do Epiro, Alexandre O Grande, deixou marcada sua trajetória de combates e segredos. Muito culto, o jovem teve aulas de matemática e literatura com Aristóteles, mas sua vida não seria voltada aos estudos. Após a morte de seu pai em 336 a.C., teve sua primeira vitória, como recompensa, se tornou rei da Macedônia, e com apenas 20 anos deu início a uma saga de vitórias.

Apesar da pouca idade sua perseverança e gana por vitórias, o levaram a deixar os campos de batalhar invicto até sua morte. O que antes era apensas um sonho passou a se tornar realidade quando o ocidente e oriente passaram a ser ligados por uma série de Alexandrias, como o rei gostava de chamar as cidades por onde passava para que pudesse demarcar seu território.

Quando passou pelo território persa, seu esforço foi recompensado com um aprendizado tático o que o fez dar início aos treinos em sua própria armada.

(Alexandre, o Grande, e seu mestre Aristóteles)

ORIGEM

Olímpias, segundo a lenda, diz ter recebido um raio em seu ventre um dia antes do nascimento de Alexandre. Seu nome foi ouvido em um dos maiores impérios que o mundo antigo vira, enfrentando grandes potencias como Grécia e Pérsia, que para época estavam em seu mais pleno apogeu.

Seu pai, antes que Alexandre pudesse assumir o trono, foi perspicaz e conseguiu unir forças com os gregos para que juntos, e organizados pudessem enfrentar os persas. Essa força foi chamada de liga de Corinto, mas que não contava com a força de Esparta que ainda assumia um papel de cidade independente.

Alexandre ao assumir o poder, após o assassinato do pai, determinou a morte daqueles que eram inimigos dentro e fora de seu reinado, para que assim pudesse alçar voos maiores e atingir seus próprios sonhos. 

OBS: O império persa se concentrava onde hoje é o Irã.

(Um mapa que mostra bem o tamanho de um dos maiores impérios que o mundo já viu)

RESUMO DE SUAS CONQUISTAS:

Alexandre conquistou os persas, libertou os egípcios (tornando-se libertador e herdeiro dos faraós), Iraque, chegando assim aos pés das Índia.

Após conseguir unir ocidente e oriente, passou a mesclar as culturas para que pudesse cada vez mais ser tratado como reis dos reis. Seus súditos ocidentais não apreciavam a ideia, e assim que tiveram uma oportunidade o eliminaram, aproveitando o ensejo de uma festa comemorativa.

Dario III fugiu duas vezes em confrontos diretos com Alexandre, e sua família acabou sendo capturada. O semideus e auto intitulado herdeiro de Aquiles, tratou sua família como dele, o que traz mais uma prova de toda sua grandiosidade.  

(Alexandre e Roxana, um casamento que uniu ocidente e oriente)

IMPACTO DE ALEXANDRE NO TURISMO

Foram várias as cidades por onde passou e um roteiro poderia ser feito em seu nome, assim como outras campanhas publicitárias são feitas, como o a rota da seda, os rios Reno e Danúbio, Transiberiano cortando Rússia e China, ou o Glacier Express na Suíça.

Algumas rotas poderiam ser feitas e vamos deixar duas para que possa ser pensada por voce em sua próxima viagem.

Fazer a antiga Jugoslávia não parece ser uma ideia nada ruim se você seguiu nosso passo a passo aqui das cidades e países com compunham o antigo bloco, e caso não tenha seguido vamos deixar aqui um roteiro bacana:

Começando pela Hungria que não tendo sido parte do bloco guarda muita história e indiretamente faz parte do início da Jugoslávia. E olha só que incrível! Saindo do território dos magyares, o caminho seria feito pela Croácia passando por Zagreb, Opatja, e entrando na Eslovênia, indo a Liubliana e Bled.

Na volta a Croácia, o caminho até Dubrovnik é super fácil, e não deixe de passar por Zadar, Hvar e Split. Assim que chegar em Dubrovnik o caminho se trona fácil até Mostar e em seguida Sarajevo.

Até o momento foram aproximadamente 10 dias e 4 países e metade da extinta Jugoslávia. De Sarajevo a Belgrado é um pulo e se descer por Kosovo chega facilmente a Montenegro e a Macedônia, terra de Alexandre.

Alexandre, o Grande, teve sua importância histórica e tem também seu contexto turístico, afinal colocou a Macedônia mais uma vez no mapa.

Outro roteiro bem bacana a ser trabalhado pode ser o sudeste da Europa com o oriente. Saindo da macedônia e percorrendo cidades que o próprio Alexandre tenha feito, como cidades e ilhas gregas (você mesmo que quisesse se negaria a acreditar que Alexandre passou por Santorini e Mykonos?), Alexandria no Egito, passando por Síria (assim que a guerra acabar e sendo assim um incentivo a retomada da economia local), Turquia, Irã, Iraque até os pés da Índia.

Não sei você, mas nós da equipe Guias & Trilhas faríamos esse roteiro fácil, fácil.

Gostou das dicas?

Então nos acompanhe,

Equipe Guias & Trilhas.   

Richard Stoltzenburg

 (Edição Roberto Feres Jr)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: