Vlad Tepes tem esse nome, pois em romeno Tepes significa empalador. Não colocaremos fotos desse tipo de tortura de combate utilizado por Vlad, mas é interessante saber que os inimigos que chegavam ao território romeno se assustavam e praticamente voltavam aterrorizados em ver centenas de corpos pendurados em estacas de madeira. Foi assim que o príncipe conseguiu conter muitas das investidas dos otomanos a seu reino ainda no século XV.

Parte técnica:

Agora que já falamos sobre sua fama vamos a alguns detalhes mais técnicos. Vlad alcançou fama também por seu sobrenome que é Dracul que em latim significa dragão, e erroneamente ficou famoso por diabo. Esse nome vem da época dos Romanos e Vlad vem da família do brasão dos dragões, ou, cavaleiro da ordem dos dragões como seu pai Vlad II. Sendo assim seu sobrenome não é Tepes, como ficou conhecido, e sim Draculea.

(Vlad Tepes – o Drácula)

Geografia:

Vlad Tepes nasceu na região da Transilvânia mais precisamente em Sighisoara , o que pode ser considerado o coração da região. Sua casa ainda está preservada e a cidade conseguiu se unir a outras inúmeros locais ao redor do mundo como patrimônio mundial pela Unesco.

Um detalhe engraçado é que por um determinado período de tempo a região da Transilvânia ficou sob posse dos Húngaros e muitas pessoas relacionaram o príncipe romeno a realeza húngara, o que não é verdade.

(Mapa mostrando a proximidade da região da Transilvânia e Hungria, ou Império Austríaco)

O guerreiro:

Aos 11 anos Vlad foi levado pelos otomanos como garantia de que o império romeno seria um aliado confiável para o sultão. O menino foi levado com seu irmão mais novo, e assim que soube da morte de seu pai, por burgueses próximos a família real, foi liberado pelo sultão para decidir se voltaria a suas terras ou permaneceria sob sua tutela, porem agora sem serventia. Seu irmão decidiu ficar e ele voltou e enfrentou os mais diversos desafios para conseguir a coroa que fora tomada de sua família. Aos 17 anos de idade retorna a Romênia e aos 25 após uma longa batalha contra o próprio país alcança o sonho.

Vlad Drácula era conhecido por seu temperamento complicado e por ser cruel em campo de batalha. Conseguiu conter muitas investidas otomanas empalando seus inimigos e fazendo com que os próximos que os seguissem se assustassem com tamanha crueldade.

Apesar de seu talento em campo de batalha contra inimigos tão cruéis quanto ele, e fora do campo de batalha com uma lábia impressionante, seu reinado durou apenas seis anos tendo que fugir para a Hungria. Doze anos depois volta a seu país de origem como homem livre e rodeado de amigos húngaros da mais alta classe, mesmo tendo ficado como prisioneiro em terra magyares, e retoma o poder.

Seu fim é uma mistura de devaneios históricos e lendas urbanas, desde uma emboscada local para lhe tirar a coroa, assim como fizeram a seu pai, até um prêmio para levar sua cabeça ao sultão otomano. Para quem nunca viu o filme tem na Netflix e o final do filme nos parece o mais certo para o enredo desse grande guerreiro.  

Quer saber mais?

Vem com a gente,

Equipe Guias & Trilhas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: