Caxambu e São Lourenço

Não tem como começar a falar desse lugar localizado na serra mineira da Mantiqueira sem pelo citar a frase que foi dita por uns amigos uns meses atrás: “… A região é conhecida como circuito das águas, e se você busca algum tipo de tratamento então esse pode ser seu lugar…”. Nossa equipe conta com pessoas que entendem que o tratamento natural é mais vantajoso que o tradicional, e foi pensando assim que demos início a essa viagem.

1° passo:

Saímos de Petrópolis na região serrana do Rio e seguimos pela BR até a segunda entrada de Juiz de Fora onde há um retorno e a direita já no caminho de volta o caminho para o circuito das águas. Saímos as 18:30 e sem transito algum chegamos a caxambu as 22:30, ou seja, foram 4 horas quase que ininterruptas com a exceção de que não há postos de gasolina na estrada que liga juiz de fora a caxambu, ou pelo menos quase até lá.

O susto foi grande, pois dirigir a noite nunca foi o ponto forte de quem dirigia e a estrada por ser mão dupla causava um certo desconforto e entrar nas cidadelas não foi cogitada, então se você também tem esse problema em dirigir a noite, encha o tanque ainda em juiz de fora e aproveite o preço, pois é bem mais em conta.

Chegando a caxambu:

Ficamos no hotel Lopes super bem localizado ao lado do parque de águas e muito próximo ao centro comercial. Para se ter uma ideia, fizemos tudo caminhando e só foi preciso pegar o carro quando decidimos ir ao mirante, mas essa informação deixarei para mais tarde.

O hotel conta com uma estrutura muito boa, apesar de ser antigo. Tem piscina interna aquecida, sauna, uma pizzaria/restaurante na porta fazendo uma excelente combinação entre negócios e quartos super limpos. A piscina aberta é quase um ofurô, e se sua preferência é por agua fria então ali é o lugar certo já que a vista é muito bonita se tratando do último andar.

São Lourenço e o parque de águas:

Estamos lidando com cidades bem miudinhas e que as águas são sem dúvida a grande atração do lugar. Então vamos explorar bem o parque e deixamos umas dicas do que fazer fora o parque para quem decidir passar mais de um dia por aqui.

Entrada do parque de São Lourenço

É tão legal passear em território nacional e ver que estamos nos preparando para o turismo. Em foz do Iguaçu já podemos ver como estão tão bem preparados para nos receber e aqui em São Lourenço foi uma grata surpresa. Ainda na entrada vimos o guichê de compra do ingresso no valor de 12 a inteira e 6 a meia, e ao lado para quem quer evitar fila um caixa de autoatendimento. Perfeito começar o dia assim com boa notícia, não é?

Antes de entrar há duas barraquinhas que vendem garrafas e copinhos para os desavisados que não chegam preparados. A caminhada interna é longa então leve uma garrafinha ou compre com eles. Eu achei a garrinha muito bonita e já na entrada garanti a minha por apenas 10 reais. Não foi caro já que a cada fonte eu conseguia me refrescar e provar cada uma delas e ao final ainda levei um pouco de volta para o hotel.

São inúmeras fontes e os tratamentos podem ser feitos de maneiras mil, então caso acredite que as águas possam te ajudar fique mais dias e aproveite.

O parque é muito bonito, todo verdinho com arvores por todos os lados, um lago central que ajuda a completar o cenário e alguns personagens que fazem a diferença. Um deles é um saxofonista brilhante que se encontrava em uma praça baixa em meio a um bambuzal deixando o passeio ainda mais bonito. Como a praça era baixa foi fácil perceber que as pessoas se encantavam pela música, mas ficavam olhando para os lados procurando de onde vinha. O outro personagem, mas podemos dizer outros, são os gatos e sem dúvida podemos afirmar que esse é o parque das águas e dos gatos.

Saxofone no meio do parque – deslumbrante.

Entre as fontes de água e o lago há uma pequena trilha que serve como atalho, então não há desculpa para não tentar umas pedaladas no pedalinho ou simplesmente voltar as fontes mais uma vez. O espaço é bem familiar e conta com um parquinho para os pequeninos todo feito em madeirinha. Vimos algumas mães cansadas da caminhada sentadas nos banquinhos enquanto as crianças se divertiam nos balanços. Mas se o parquinho não for o que os miudinhos queiram há também um kidsclub feito especialmente para eles e claro que ao lado estão as lojinhas para os pais que precisam de um descanso.

Kidsclub

Por fim existe o centro hidroterápico com inúmeras terapias e seções de relaxamento. Vale a pena passar por aqui e se deliciar mesmo que a intenção não seja ficar por muitos dias. O parque tem uma atmosfera bem família e com a cara de Minas Gerais, e claro muito bem cuidado. Foi engraçado pensar que Caxambu seria diferente, pois por fora a impressão foi exatamente essa e de Caxambu falaremos no próximo post.

Saindo do parque aqui em São Lourenço pudemos caminhar e passear um pouco mais. Ao contrário de caxambu a ideia aqui é fazer o percurso de carro e vale a dica: deixar o carro na rua é pago então procure os monitores de transito que eles te entregam o papelzinho preenchido e que dificilmente passa de 5 reais por 2 horas.  

Para uma viagem curta deixamos algumas dicas de viagem:

O café da manhã no hotel foi muito bom, apesar de não ser 5 estrelas mesmo com aquela estrutura boa que o hotel oferece, e somente as 13 horas que sentimos fome a ponto de nos fazer parar e comer comida de verdade. Fomos então a uma comida quilo chamada PALADAR MINEIRO. Famoso BBB, que nos atendeu muito bem e saímos de lá satisfeitos. Nessa mesma rua tem vários bares e restaurantes então não se atenha apenas a essa dica, mas a essa rua. Fomos caminhando da saída do parque reto em direção a essa rua que é muito fácil de encontrar, afinal é a rua onde se encontra o murmurinho por aqui.

Os doces da padaria São Lourenço. São bem conhecidos e vale a pena passar e provar os quitutes. Boa dica para quem quer fazer um bom lanche.

Teleférico:

Deixo bem aberta essa possibilidade porque não me pareceu seguro e como a altura nunca foi uma amiga próxima deixo para quem quer se arriscar. E por que não pareceu seguro? Bem, quando cheguei e perguntei as pessoas que estavam atendendo estavam tomando cerveja do lado de fora da atração que conta com um bar e mesinhas. Trabalhar e beber não me pareceu uma boa ideia principalmente quando se trata de altura. Não me saia da cabeça que se algo acontecesse eles não encontrariam um telefone para ligar para a emergência e que não teriam um botão de pare, ou que se encontrariam um. Fui muito sincero? Como disse, estamos aqui para mostrar o que de fato acontece.

Poderia voltar 10 vezes que não subiria

O trenzinho:

Deixo outra vez uma janela aberta:

Vamos lá:

Percurso faz São Lourenço X Soledade e dura aproximadamente 40 minutos.

Todos pagam meia, ou seja, 70 reais. Achei bem salgado esse preço para um passeio tão curto. Quando questionei a menina do caixa sobre a regularidade de saída ela me disse que quase não havia e que aos fins de semana dependiam de lotação. Com esse preço achei difícil mesmo que tivessem saídas rotineiras, mas que o trenzinho é muito bonito disso não tenho dúvida.

Trem de São Lourenço

Horário de saídas:

Domingo: 10 e volta as 11:20, sábado 10 e volta as 14:30. Feriados a confirmar. Quando conseguem saídas para as 10 e 12 horas você não pode ir em um trem mais cedo e voltar no outro mais tarde, a ida e volta só valem para o ticket do horário determinado. Soledade é mínima e acredito que em 40 minutos possa fazer praticamente tudo por lá.

Caso a família entenda que o passeio com degustação seja o mais apropriado então prepare o bolso. 90 reais são cobrados para quem quer saborear queijos, vinhos, doces, suco de uva, e claro a cachacinha mineira.

Feirinha junto ao trem.

Mercadão:

Agora caso queira fazer uma degustação pagando muito menos que esses 90 reais por pessoa, ok entendemos que não é de trem, o mercadão estará lá esperando por você. São várias opções de doces, sucos, queijos e muita cachaça, e fica e uma quadra e meia do teleférico.

Interior do mercadão

Logística da cidade:

Em frente ao parque está o calçadão com bares e restaurantes que seguem por um uma que corta como se quisesse que o portão principal do parque quisesse vela, ou seja, reto ou transversal ao calçadão. Aqui é o murmurinho da cidade.

Ao lado do parque pelo lado de fora atrás do hotel brasil, o mais conhecido da cidade e que fica literalmente em frente ao parque, está a feirinha cheia de lembrancinhas da cidade. As meninas adoram.

Seguindo esse calçadão a esquerda está o teleférico e o mercadão, ambos uma rua para trás e mega fácil de serem encontrados.

E o trenzinho está no sentido saída da cidade, contornando o lago pela rua principal e na rotunda virando a direita antes de pegar o caminho de volta. Passe a ponte e vá até o final. Pareceu difícil? Pode acreditar que não é. A cidade é pequena e o ambiente muito acolhedor. Uma visão rápida entre parque das águas e calçadão e encontrará cada um desses itens com uma rápida caminhada.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: