Você já pensou em fazer intercambio alguma vez na vida? Essa dúvida é muito recorrente entra muitos jovens, e pode acreditar pessoas depois dos 30, principalmente nos tempos atuais, começam a repensar essa possibilidade.

Eu mesmo fiz 2 e posso garantir que minha vida tomou outro rumo depois que decido vivenciar outra cultura. Mas mesmo tendo essa experiência, o que pode vir a mudar em sua vida?

Vamos a alguns pontos para que você possa visualizar, e quem sabe tomar uma decisão:

Antes de começarmos é importante ter em mente que o planejamento é essencial. Algumas empresas oferecem parcerias com empresas locais que podem te ajudar com casa, além do emprego e isso é muito importante já que traz tranquilidade, principalmente para quem é jovem.

Aprender com erros

Quando somos jovens dificilmente encaramos situações cotidianas com mais seriedade. Quem com 17, 18 anos entende a importância de levantar e fazer a cama, ou se preocupar que além do aluguel ainda falta preencher geladeira e dispensa com comida. Nessa fase estamos saindo da época de escola e ingressando numa nova era, a faculdade. Então aprender que acordar cedo e ir trabalhar para manter a casa que vive, suas necessidades, e claro diversão. É uma época de maturação pessoal e estar em companhia de pessoas que estão vivendo de verdade essa experiência ajuda e muito.

Praticar outro idioma

Minha época de escola praticamente toda desde meus 8 anos de idade foi dividida entre curso de inglês e colégio. Quando por fim me formei em ambos, aos 18 anos, meus pais fizeram um esforço enorme e me mandaram para Orlando. Foram 12 anos de inglês para chegar nos Estados Unidos e não entender a virgula que eles diziam. Precisei de um mês e sem exageros posso dizer que escutei um click, e a partir daí comecei a me comunicar e aprender ainda e parecia uma esponja pra tanto vocabulário. Se uma dica batida ainda for útil, deixo de novo: “não passe todo seu tempo com brasileiros, o aprendizado é muito maior quando se passa mais tempo com os locais”.

Carência e saudades de casa

Uma das frases que mais escutei foi: “putz cara que saudades de casa”, ou, “minha mãe prepara tal prato e aqui não tem”, ou, “po minha família está toda reunida no natal e eu aqui”. A saudade é um fator que influencia muito quando estamos distantes, mas se sua família te envia para um lugar onde a experiência é tudo, então aproveite e pense que mesmo reunidos estarão torcendo por você.

Grandes amores

Se no tópico anterior falamos de carência, então encontrar um “grande amor” não parece o mais difícil dos cenários, não é? Quando você chegar a outro país e se for aos lugares certos encontrará um monte de intercambistas que estão na mesma situação que você, sozinho e longe de todos. Pode parecer sacrifício ficar longe de casa, mas ao mesmo tempo pode ser compensador. Um casal de amigos se casou há pouquíssimo tempo e se conheceram no intercambio. Pra quem acredita em destino, tá aqui a prova viva.

Grandes amizades

Longe de casa e de amigos, vivenciando um outro mundo completamente diferente e possivelmente com dificuldade com o idioma. Fazer amizade fica muito fácil e é incrível como conversar, mesmo com dificuldade, com pessoas de todas as partes do mundo. Tenho amigos por boa parte do globo e sempre que possível passo para uma visita.  

Uma foto, várias nacionalidades.

Uma nova cultura

Agora que já sabe que a distância pode ser superada, que amigos verdadeiros podem ser encontrados, grandes amores acontecem mesmo, o que está esperando para ir e começar a comer aquela comida diferente? Andar de ônibus parece tão banal, mas a atmosfera parece mudar quando estamos em outro país. Assim como ir ao mercado, entrar no cinema, ou simplesmente passear num parque cheio de lagos e pessoas curtindo como você.

Sabe por que essa atmosfera muda tanto? Porque o costume e cultura são completamente diferentes do que está acostumado em seu dia a dia. O clima, muda muito. A arquitetura é sempre legal de ver, principalmente naquelas cidades de interior que mantem as tradições.

Grandes amizades – muito aprendizado ! Em sequencia temos: Chile, Brasil, USA, USA, e Peru.

Isso se chama quebra de paradigmas. Saia da zona de conforto e confronte aquilo que já faz parte do seu contexto social. Você com certeza já ouviu a frase: “viajar abre a mente” e abre mesmo! Porque em uma viagem você encontra coisas novas o tempo todo.

Lembro de um dia que um amigo peruano teve um problema com nosso chefe e o pobrecito não falava inglês, então me pediu ajuda. Nesse momento eu estava em outro país, ajudando um amigo a se explicar fazendo a tradução espanhol x inglês, inglês x espanhol e convencendo um americano raiz, gordinho, de sardas, óculos redondinho, que via meu amigo como mais um que passara por ali, a entender que o garoto ainda estava se adaptando ao mundo novo. No final estávamos todos comendo burritos com soda na casa desse supervisor que ao final também estava aprendendo com aquilo tudo.

Um aviso aos pais:

Papai e mamãe se preocupem sempre com seus filhos, mas prender seu filho nessa fase da vida pode atrapalhar seu crescimento pessoal e profissional. Minha vida profissional decolou após essa passagem e com toda certeza minha vida pessoal deu um loop em maturidade.

Em nosso próximo post falaremos sobre os cuidados de fazer um intercâmbio, mas com toda certeza é muito mais vantajoso fazer do que não fazer!

Vem com a gente,

Guias e Trilhas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: