Começando nossa saga pelo antigo Leste Europeu, nos deparamos com o conhecidíssimo Império Romano que teve início em 753 a.C. teve uma brilhante história de muito sucesso, imperadores com habilidades das mais diversas e que conseguiram guiar o império até 476 d.C.

Você consegue imaginar um Estado quase do tamanho do Brasil? Pois bem, os romanos tiveram êxito em suas conquistas territoriais. E você pode estar se perguntando se estamos malucos em colocar mais de mil anos de império, mas não, pois não podemos nos esquecer que Roma foi monárquica, republica e império.

A questão aqui é entender que o meio de produção da antiga Roma era escravista, logo, o meio de crescer e enriquecer era conquistar terras e fazer escravos. O mais interessante aqui é que os escravos romanos eram escravos europeus e não africanos como os nossos aqui no Brasil. Assim como iam caminhando e conquistando iam adquirindo mais e mais escravos, mais e mais terras.

Uma outra curiosidade é que os Romanos tinham uma mentalidade diferente dos antecessores como gregos, persas e até macedônios como Alexandre o Grande que tinha como característica incorporar culturas. Os Romanos acreditavam que a força vinha das vitorias e conquistas deixando de lado o que o povo conquistado pudesse ter a oferecer.

Os romanos tinham como prioridade a estratégia militar e isso ficou claro durante várias guerras e conflitos ora se defendendo, ora atacando pontos já pensados e analisados. A guerra de Cartago por exemplo ficou conhecida por ter tido três ataques e somente no ultimo com êxito, mas não à toa, pois Cartago era rota estratégica mercantil para os romanos, localizada onde hoje é a Tunísia no norte da África podendo chegar aos pés da Espanha e norte do Marrocos.

Alguns dos povos mais conflituosos foram os germânicos e os hunos, que futuramente estaremos escrevendo mais para que você saiba e entende como influenciaram a vida na Europa, mas cada um teve seu tempo assim como nós teremos o nosso.

SPLIT

(Temos um pouco da história dos Romanos que tiveram forte influência na Croácia)

O mais importante no momento é entender que esses povos chamados de bárbaros, ou seja, qualquer povo que não tivesse  cultura romana, vestimenta, língua, leis e etc, conseguiram rachar o império em 395  d.C e o império agora tinha duas versões, o Império Romano do Ocidente e o Império Romano do Oriente. Vale lembrar que a essa altura o governo já era um império e que já havia passado por monarquia e seus reis, republica e seus senadores e agora um império.

Com a queda do império do ocidente o oriente fica sobre a tutoria de Constantinopla que tinha como figura representativa, Constantino, que conseguiu reunir alguns pontos do antigo império como as leis e territórios perdidos para os bárbaros.

Constantino e Constantinopla conseguiram se erguer e tiveram uma base forte na agricultura e comercio marítimo. Ao contrário do Império Romano, o Império Oriental passou a aceitar melhor algumas culturas, mas sempre de modo teocêntrico, mas mesmo assim viu as cidades ganharem um pouco mais de vida.

O único meio encontrado pelo agora poder bizantino era ser déspota, autoritário, por fim monárquico onde a forma de agir bem moderna para seu tempo atingiu e mexeu com o mundo até o meio do século XV. Esse reinado prolongado dos bizantinos se deu ao fato de terem entendido que deveriam obedecer ao imperador, guerrear e escravizar e usar da empatia política para resolverem conflitos mais complicados.

imperio romano

Para quem nunca viu a botinha no mapa, esse é ponto de inicio do Império Romano, onde hoje se encontra a Itália.  Esse mapa representa até onde chegou o Império Romano do inicio ao fim.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: