Split foi a segunda cidade que visitei na Croácia, e de cara avistei o palácio de Diocleciano. Cheguei em julho a cidade, e não fazia ideia que era tão quente. Aí está uma dica que é referência, filtro solar e roupas mais leves. Não imaginava o que estaria por vir, e pude ver muita coisa legal dentro e fora do palácio. Dentro do palácio já se podem ver alguns prédios antigos. Esses prédios não estavam ai na época de sua construção. Após a queda do império romano, algumas tribos (nesse caso, tribos para os romanos são aqueles que não eram civilizados, ou que não moravam na cidade), se instalaram e começaram a construir dentro do palácio suas casas.

IMPERIO ROMANO E BIZANTINO

(Link para uma breve história dos Impérios Romano e Bizantino)

10421172_1062204077142122_2526888958899954587_n

(Promenade de entrada a fortaleza croata de Diocleciano)

Várias dinastias passaram por aqui e o poder passou de mão em mão inúmeras vezes. Por isso é possível ver sem fazer muito esforço, as diferentes arquiteturas empregadas na cidade. Fiquei tão encantado com a cidade que fui andando sem perguntar nem ler nada, ate que quando me dei conta estava de frente a estatua de Gregorius de Nin, nesse ponto encontrei minha guia, e logo perguntei quem era e o porquê, de todos tocarem o dedo do pé esquerdo da estatua. Então descobri que, trás sorte e atualmente dizem que trás a pessoa de volta a cidade antes que perceba. Eu toquei o dedo do pé e voltei algumas vezes, não sei se é coincidência ou não, mas deu certo. Vale a pena querer ver a estatua não só pela lenda, mas também para poder rodar e conhecer melhor o palácio. A estatua fica em frente ao “portão de ouro”, dali saiam as delegações para salona.

(Toquei de fato o dedo, mas essa foto tá bem legal também, ao lado o Portão de Ouro)

O palácio é tão bem conservado que com razão, encanta o turista. Como que se pode imaginar que uma construção do século IV sobreviveria não só ao tempo, mas também as tantas guerras que o mundo passou. A Croácia foi muito atingida na segunda guerra e é inacreditável como conseguiu segurar e manter seus monumentos e cidades quase intactas. Passeando pelo palácio, indaguei sobre Diocleciano. Um homem que resolveu ter sua aposentadoria aos pés do Adriático, que teve uma vida exemplar (se tomarmos como parâmetro, que saiu do berço de uma família humilde), e que tinha suas debilidades.

O mesmo homem que quase morria de medo com trovões em dias de chuva, não tinha medo de enfrentar uma religião. Enfrentou e perseguiu os católicos por décadas. Enquanto pensava e achava tudo isso meio contraditório, quase não acreditei quando vi uma catedral dentro do palácio. Uma catedral? Linda, cheia de colunas e seu interior muitíssimo bem decorado. Essa catedral surgiu após a queda do imperador, e o mais irônico de tudo isso, é que seu mausoléu fica na base da catedral. Entrei e visitei, valeu muito a pena.

10998646_1062204143808782_515111133837342606_n

(Catedral de Split – em alguns meses do ano há meninos e meninas com roupas Romanas)

Outra dica, não ir mesmo que no verão quente com os ombros descobertos e isso vale para as meninas. Homens em geral não costumam ter esse tipo de problema. O palácio tem quatro entradas, ou quatro portões. São eles, portão de bronze, portão de prata, portão de ouro e portão de ferro. Caso se perca dentro do palácio, basta perguntar por um dos portões e será fácil sair. Sempre que viajo levo uma lembrança a família ou amigos. Bem quando fui estava perto do aniversario do meu pai e decidi levar algo diferente para ele.

Quase que em frente a catedral esta a loja de gravatas. É a primeira loja de gravatas do mundo, já que em determinado tempo da historia, as tropas reais tinham que usar gravatas. Vale muito a pena levar uma gravata dessa loja. Não é barato. Então entrem e confiram o que já vale muito. Não levei a gravata e acabei levando um imã de geladeira. Para meus irmãos, trouxe três camisas de pirata. São muito vendidas já que estamos em contato com o mar o tempo todo. Muito legal ver e entrar nas lojas e poder se perder dentro do palácio.

(a esquerda foto da camisa que encontrei em Korcula e comprei aqui em Split, e a direita o mausoléu de Diocleciano)

Por ultimo e não menos importante, os porões do palácio. Estão muito conservados e é fácil notar que antes era usado como armazém. São salões imensos e vale lembrar que antes o promenade que fica em frente do lado de fora, era mar. Isso mesmo, mar. Tiveram que aterrar essa área. Então os navios vinham e entravam por essas portas enormes deixando suas mercadorias. Muito legal ver como estão inteiros. Esses porões passaram por um trabalho de restauração há pouco tempo. Estava cheio de entulhos que desciam da parte superior. Os croatas exploram como podem o palácio, e no dia que fui passei por um dos salões e estava cheio de cadeiras. Uma apresentação ia ser feita e cadeiras e câmeras já estavam preparadas.

(Um pouquinho dos porões da cidade, consegue imaginar os navios aqui?)

Vale a pena comer alguma coisa do lado de fora nesse promenade. São incontáveis restaurantes e bares. O serviço é muito bom na grande maioria das vezes, um sorvete no calor do verão sempre será bem vindo.

PS:

A esquerda da loja de gravatas está o templo de Jupiter, e sem duvida alguma é um dos lugares a serem visitados e não toma muito tempo. Super decorado, assim como nossa foto de destaque do artigo, e conta com uma estatua de São João. Mesmo para quem possa parecer pouco importante, que tal passar e admirar a obra de um dos maiores artistas croatas ? Selo Guias & Trilhas de qualidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: